domingo, 9 de outubro de 2011

Nada especial

Será difícil de compreender, que apesar de estar hoje
aqui,
Eu sou povo e jamais poderei me esquecer, peço
me creiam,
Que os meus luxos apenas disfarçam, mais nada que
um jogo burguês
São regras do cerimonial,
Eu tinha que aceitar e então mudar, e deixar de viver sem ilusão,
Sempre atrás da janela sempre atrás do portão.
Busquei ser livre, mais eu jamais deixarei de sonhar,
Que um dia irei merecer o amor que sentem por mim,
Jamais o poder ambicionei, mentiras falaram de mim,
Meu lugar é do povo a quem sempre eu amei,
Eu só desejo sentir bem de perto o seu coração batendo por mim com fervor,
Que nunca me vou esquecer,
Eu falei demais, mas foi só pra convencê-los desta verdade,
Se ainda querem duvidar, é só pra dentro de mim, me olhar....

Nenhum comentário:

Postar um comentário