domingo, 26 de junho de 2011

Retomando a obra...Marco/Maicon...

Só mais uma noite...

...E o que sai do homem..??
O sal...
E aquilo que consome...
Aquilo que produz...
O “brilho” nos meus olhos...
Mesmo que não haja luz...
O medo de pensar...
O tanto de querer...
Esta alma" branca" que vicia de verdade.
O ser, estar e ter...
A pupila dilatada que só me faz enxergar.
Enxergar, mas não ver
Esta triste realidade.

E o que sai da boca???
Pode o escarro..
Mas também escorre
O que alerta... revigora.
Levanto, encaro!
E, onde quer que chegue,
Não chegarei sem amparo
Levo comigo aqueles que...
No caminho, construíram sapiência.
Enfim,
Que é a vida, senão
Por o dedo na cara da morte
Qual a graça de não
Ser o que o mundo humano te impede
E foi ao não ser quem me quiseram comprar
Que avistei o amor que nunca vi crescer
-Eis que entendo o escarro...
LIBERDADE: até onde te alcanço???

Nenhum comentário:

Postar um comentário